sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Poemas das frutas

POEMA DAS FRUTAS.

Lucas Durand


1
dentro sou branco e talvez amarelo,
Por fora Por
sou rude e áspero eu sou,
A casca espinha e com meu rabo espeto,
Por isso pelado na mesa estou,
Por dentro sou doce e às vezes azedo,
Sou digestivo e viro suco por ti,
Sou diurético e não sou esquelético,
Quem me saboreia de gosto sorri,
E eu o ajudo fazer muito xixi,
Eu sou saboroso, bonito e formoso,
Sou um gostoso de um abacaxi...

2
Verde eu não presto e ninguém assim gosta,
Macacos me adoram e pessoas deliram,
Na feira estou em pencas à mostra,
Passarinhos afoitos com bicos me bicam,
Furando a casca e minha popa exposta,
E bem “madurinha” a frigideira me tosta,
Pareço salsicha meio torta e grossa,
Mas eu sou humilde e só vivo na roça,
Eu sou devorada por pobre ou bacana,
E assim sou querida e por isso sou prosa,
Então, muito prazer: eu sou uma banana...

3
Na sua camisa seus braços eu envolvo,
O nome é igual, mas sou diferente,
Estou no pomar e alimento meu povo,
Você se lambuza e me crava seu dente,
Cuidado amigo, pois tenho caroço,
No pomar todo ano eu faço um alvoroço,
Atendo a todos com muito carinho,
Meus nomes são lindos depende de ti,
Sou Rosa, Espada, Ubá, Abacaxi,
E bem madurinha eu vou pra capanga,
Sou apetitosa, pois sou uma manga...

4
Do prazer em me ver eu causo sorriso,
Sou linda e cheirosa e de mim ficam fã,
Meu sabor é divino e já houve castigo,
Por mim até Eva ficou meio tantã...
E com Adão foi expulsa do paraíso,
Comeram-me logo com muito afã,
Sou vermelhinha e por dentro sou branca,
Agrado o adulto e também a criança,
Eu estou na feira e bem de manhã,
E de me comer ninguém nunca se cansa,
Pois sou uma linda e cobiçada maçã...


5
Na árvore onde moro agarro nos galhos,
Grudada eu cresço até ficar preta,
Eu sou uma bolinha redonda e xereta,
Em volta de minha tem outra grudada,
Na época certa eu sou muito amada,
Uma farra se faz quando a criançada,
Na boca me põe para eu ser esmagada,
E por lindos dentinhos eu sou estourada,
No chão do terreiro a casca é jogada,
Cuspindo o caroço a polpa é sugada,
Sou pretinha e docinha, uma jabuticaba...

6
Eu posso ser verde ou até mesmo roxa,
Às vezes, vermelha, e muito apreciada,
Cuidado comigo, não me pegue com força,
Sou admirada na parreira e na caixa
E em lindos cachos, eu linda me acho,
Você me despenca e me come com graça,
E bem lavadinha sua boca me suga
E pode comer até meu bagaço
Ao me saborear você fica até muda
E sou muito nobre e me colhem com luva
Já sabe quem sou? Eu sou uma uva...

7
Posso ser pequeno e, às vezes, grandão,
Sou vermelhinho e não vivo no chão,
Bom pra a saúde e macio e fofinho,
E se estou maduro meio amarelinho,
E a salada de frutas sem mim não é nada,
Retiram a casca e minha polpa é cortada,
Por sua boquinha sou apreciado,
E a qualquer hora eu sou devorado,
Regulo intestino e a digestão,
Nunca fique sem este seu grande amigão
Pois sou um gosto e saudável mamão...

8
Se a gripe chegar, se lembre de mim,
Deste verdinho que à gripe põe fim,
Eu sou muito azedo, mas curo você,
Tenho uma vitamina chamada de C,
E não posso faltar na sua dieta,
Pode perguntar pra vovó e pra neta,
Dos meus predicados naquele chazinho,
Se alguém da família anda gripadinho,
É só me usar e abusar de montão,
Que a gripe vai embora, num estalão,
Graças a este azedinho limão...

9
Eu sou uma fruta muito grande e pesada,
Se você não for forte, eu não sou carregada,
Pareço uma bola assim meio achatada,
De verde e branco sou por fora pintada,
Na feira me cortam para eu ser mais olhada,
E por dentro sou fofa e bem avermelhada,
Com pintinhas pretinhas sou toda enfeitada,
Por uma só pessoa não sou devorada,
Pra você me comer eu sou bem fatiada,
E então sua boca dá aquela dentada,
Nesta melancia muito apreciada...

10
Eu sou tão amado que a raiz do meu pé
Dá um doce legal, e eu mesmo verdinho
Ralado ou cortado viro doce também...
Mas se por fora eu fico meio amarelinho
Lá vem uma vara e me derruba alguém
Depois sou guardado pra ficar “madurão”
De mim se faz suco bem avermelhado
Ou em pedaços mordidinhas me dão
E para digestão sou muito indicado
Eu sou bem macio e bem gostosão
Prazer em servi-lo, eu sou um mamão...

Fim.

Lucas Durand
Lucas Durandwww.recantodasletras.uol.com.brwww.virtuallibri.com AS MENINAS DE BIA. (romance/trama) Lucas Durand.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário